Informação

Deseja conhecer seu futuro? Observe seus pensamentos, sentimentos, palavras e ações de hoje, pois o amanhã é projetado no presente. Nas consultas pessoais utilizo o Tarô como ferramenta de orientação, pautada no autoconhecimento e percepção do momento vivido, para assim ampliar a consciência do consulente para suas decisões. O destino individual é traçado através das escolhas de cada um.

01/09/2021

Setembro de 2021

 

Neste mês de Setembro temos para compreensão dos aspectos individuais que alimentam o coletivo, orientação, reflexão e suporte, o arcano V, O Sumo Sacerdote, no Tarô, em parceria com a carta xamânica 7, Gambá Americano - Reputação -.
O Sumo Sacerdote, vem representar a exteriorização da busca do Homem pela conexão com a divindade. Como disse Orígenes, " a alma humana é naturalmente religiosa." A busca pelo sagrado, pelo transcendente, está na natureza humana. O Homem procura sua ligação com o que transcende a vida material e o arcano V, O Sumo Sacerdote, simboliza o pontífice ou aquele que é a ponte entre o sagrado e o terreno.
Cada ser humano tem a predisposição inata para ser um pontífice, mas por vários motivos, a maior parte de nós, vive um embotamento deste potencial e por isso buscamos, através de figuras exteriorizadas a orientação que necessitamos.
O arcano V, representa uma liderança humana e por isso traz em si a dualidade do bem e do mal. Tanto pode abençoar como excomungar. Seu nível de consciência mostrará sua face, iluminada ou obscurecida. Como está para orientar, manter equilíbrio e coesão do grupo pelo qual zela, tem posição de liderança ou seja, é aquele que tem o dever de cuidar e manter a integridade do grupo que lidera. É na verdade um servidor, com responsabilidade para a coletividade. Portanto, dependendo do seu grau de sabedoria, pode tanto elevar como enfraquecer a comunidade a que se dedica.
Para poder executar sua função de pontífice, precisará da confiança dos orientados, pois não está para obrigar, mas apoiar.
Como arquétipo, o arcano V, pode também representar qualquer tipo de liderança, que tenha a responsabilidade de conduzir um grupo de pessoas para seu aprimoramento e coesão.
Em comunhão com O Sumo Sacerdote temos a carta xamânica, Gambá Americano, que representa o respeito alcançado pela reputação. Isto é, diz que somente alcançará o respeito e a credibilidade aquele que se manter fiel aos seus dignos princípios, promovendo em torno de si uma aura de reputação de força e honradez. Não é necessário impor, pressionar, ameaçar, manipular, oprimir ou qualquer coisa desse tipo, pois a autoconfiança, dignidade e o apreço por si mesmo, formam um campo áurico, que pode ser percebido pelos outros num nível extra-sensorial. Sendo assim, adquire respeito e credibilidade quem  merece.
Concluindo, em Setembro somos chamados para nos conscientizarmos da nossa ânsia por referências externas para nos orientarmos e apoiarmos, para seguirmos numa coletividade com diversidades, mantendo igualmente as mesmas necessidades de segurança, bem-estar e progresso para todos. 
Temos potencial para desenvolvermos autonomia de discernimento e posicionamento, mas quando não há autoconfiança, precisamos de uma voz que nos oriente para prosseguirmos e este é um ponto importante: autoconfiança. Ela se desenvolve com a consciência da própria potencia e o conhecimento das qualidades, assim como dos elementos a serem burilados, enfim, autogerenciamento nas experiências vividas. Nenhuma pessoa se torna autoconfiante, porque alguém lhe disse que pode! Ninguém empodera ninguém! É importante constatar as próprias capacidades ou seja, é vivendo que se constrói a autoestima. Quanto mais há o fortalecimento da autoconfiança e dos próprios aspectos dignificantes, mais é possível identificá-los em outras pessoas. E quando estamos inseridos no coletivo, saber identificar boas lideranças é um divisor de águas importante. E aqui está valendo qualquer tipo de liderança e de contexto variado.
O arcano V e a carta xamânica 7 nos solicitam discernimento, para reconhecermos lideranças que mereçam nossa confiança pela sua reputação, que deverá ser forte e honrada.
Parece uma questão simples essa, pois bastará observar os atos, no decorrer do tempo, sua constância e coerência, para saber da boa reputação ou não, do observado. No entanto isto não é simples, devido a nossa tendência para projetarmos no externo o que trazemos em nós mesmos. Além disso, enxergamos o que acreditamos. Se estivermos imersos em erros de abordagem, mesclados por sentimentos conflitantes, dificilmente enxergaremos a realidade.
Por isso, sugiro dissecar uma situação ou seja, observar, analisar sob vários ângulos a mesma pessoa. Verificar seu histórico, seu comportamento, sua integridade por um tempo, até se concluir, por discernimento próprio, se merece ou não confiança, isto é, se sua reputação é boa ou não. Mas aqui vale imparcialidade, sem o tradicional "se não pensa como eu, então é meu inimigo" ou "se não diz o que quero ouvir, está errado!"
Olhar, escutar, observar, sentir, com atenção e equanimidade. Nada de forçar as aparências para que correspondam ao que se quer. Se observar com seu próprio discernimento, sem dar ouvidos a opiniões variadas, terá mais condições de fazer suas escolhas pautadas em lideranças verdadeiras, fundamentadas em reputação forte e honrada.

Espero que este conteúdo seja útil! E se o for, compartilhe com quem possa se beneficiar destas informações.
Se desejar atendimento personalizado, entre em contato.
Fique bem!


01/08/2021

Agosto de 2021

 

Como sempre, este não é um trabalho que se presta à previsão, mas que chama à reflexão e observação daquilo que se passa em cada um de nós, a formar a coletividade humana, para nos ferramentarmos em nosso processo evolutivo.
O Diabo, arcano XV, se mostra, a indicar a tônica do mês de Agosto. E a este arcano se junta a carta xamânica 19, Búfalo - Oração e Abundância.
No livro Jung e o Tarô - Uma Jornada Arquetípica, de Sallie Nichols, lê-se: "O nome do Diabo é legião, e quando estamos 'possuídos do Demônio', o nosso nome também é legião. Cheios de ideias, metas, interesses e emoções conflitantes, perdemos contato com o eu central. Não estar em harmonia com o eu é estar em pecado. Escorraçados do Éden, como Adão e Eva, precisamos pagar pela nossa transgressão, errando pelo vasto mundo em busca de nova conexão com o centro. O Diabo faz quanto pode para impedir essa busca tentando-nos a procrastinar. Utiliza a procrastinação deliberadamente, como uma de suas armas mais eficazes, ..."
É isso? Trazemos emoções conflitantes que ainda insistimos em não resolver? E se não resolvemos, fazemos o quê? Buscamos no externo pessoas ou circunstâncias que justifiquem nosso ciúme, inveja, ódio, fanatismo, vingança, ilusão, apego, manipulação, explosões emocionais violentas, exploração alheia ou, conseguimos admitir que não somos perfeitos, e temos em nossas características aspectos que merecem aprimoramento e elevação?
Mas se buscamos aprimoramento, só o atingiremos se tivermos consciência de nossa imperfeição e nos esforcemos no sentido do burilamento ou refinamento dos aspectos de nossa ignorância. E assim, ao invés de invejarmos alguém e lhe desejar o fracasso, por exemplo, podemos perceber que admiramos quem invejamos e que gostaríamos de exibir a mesma característica, e isso seria uma pista fabulosa, para nos interessarmos no aprimoramento! Ao invés da inveja, teríamos inspiração e desenvolveríamos autoconhecimento e cresceríamos! Não é? Seria fantástico! E é isso que o Diabo faz, nos incita ao conflito, à confusão, para que através do desconforto queiramos resolver o que nos atormenta. Mas é para resolver e não usar o outro como bode expiatório, sem olhar para si mesmo, pois isso seria apenas uma repetição enfadonha! Ou não?
Como se não bastasse o Diabo ou arcano XV a nos desafiar a olharmos com honestidade para nós mesmos, vem com ele  Búfalo a dizer que ao orar, louvar, ter gratidão, buscar harmonia com o meio e honrar seu próprio caminho e dos outros, mesmo em meio ao caos, poderíamos sentir serenidade e confiança para continuarmos nossa trajetória! 
Como você resolve esta equação? Difícil ou já matou a charada? 
Pois então, o chamamento para Agosto é no sentido de nos conscientizarmos dos aspectos mais obscuros e desequilibrados em nós, para que possamos nos burilar, pois se não tivermos esta consciência os projetaremos no externo. Se não conhecermos o que se mantém como sombra em nós, estes elementos nos dominarão ou, continuarão a nos dominar. O convite é para vencermos o adversário que vive dentro de nós.
Além do esforço da autoconscientização vem o apoio da humildade e gratidão ao maior meio de evolução que temos, a vida.
Orar e vigiar, talvez seja a síntese para este mês.

Espero que este conteúdo seja útil! E se o for, compartilhe com quem possa se beneficiar destas informações.
Se desejar atendimento personalizado, entre em contato.
Fique bem!


01/07/2021

Julho de 2021

 

Mês de Julho anuncia que já ultrapassamos metade do ano. Tudo anda rápido? Talvez, mas o que se evidência é a grande somatória de vivências que temos nestes últimos tempos.
Para nos revelar o mês de Julho, temos o arcano XIV, A Temperança e a Carta Xamânica 18, Lince, que representa os Segredos.
A Temperança ou Alquimista Celeste, mostra um anjo que incorpora duas essências opostas, produzindo desta forma energia resultante nova, potente, cheia de vida. Este anjo segura dois potes: o azul simboliza aspectos celestes e o vermelho, terrenos.
Nota-se que não há figura humana neste arcano, sugerindo que o que se mostra acontece a nível inconsciente, representando experiências internas ou seja, algo novo está acontecendo internamente, no entanto, ainda não se tem consciência.
Lince, a Carta Xamânica que acrescenta mais elementos para análise, representa algo que ainda não se sabe, mas que deverá ser desvendado, para ampliar conhecimento a respeito de si mesmo! Vemos que esta Carta faz perfeita combinação com o arcano XIV! Ambos apontam para elementos existentes, porém, ainda desconhecidos. Existe algo novo a se mostrar!
Concluindo a combinação destas Cartas, posso dizer que, A Temperança é muito interessante, pois sinaliza mudanças internas acontecendo em nós, mas que ainda não temos consciência. Tudo o que estamos vivendo e que já vivenciamos neste processo de pandemia, onde sofremos abalos de toda natureza, sejam eles a nível social, individual, profissional, familiar, psicológico, físico, indicam o fato de que nunca mais seremos os mesmos, não é mais possível! 
Algumas cisões internas aconteceram e acontecem, gerando  transformações, questionamentos em relação às crenças, aos ideais, aos planejamentos. Aquilo que tínhamos certeza, já não temos. Todas as questões que nos chegam nos impulsionam para mudanças necessárias, pois o que era já não satisfaz mais, por isso sermos como éramos não faz mais sentido. A sociedade que mantínhamos sofreu desafios, defrontou-se com questões novas que terá que resolver de maneira nova.
O arcano XIV  mostra que transformações internas importantes estão acontecendo, gerando novo impulso de vida. Uma nova pulsação surge dentro de nós, mas ainda não temos plena consciência de tudo isto. Apenas no silêncio, voltando-se para dentro, apercebendo-se de si, perceberemos o novo que se forma em nosso interior.
Uma sociedade nova somente surgirá a partir de indivíduos novos! Não é uma questão de reformar, mas inovar. Portanto, eu digo, reclamar, culpar alguém, delegar a responsabilidade de seu bem estar é repetir um processo que já se deteriora. Silencie, busque dentro de si este novo, que está imerso num campo que ainda não tem consciência.  É dentro de você que se inicia a nova sociedade. Não há mais como voltar ao que éramos e melhor que não voltemos, porque se pensarmos bem, a humanidade estava em agonia em função de seu sistema de vida.
Enfim, A Temperança e o Lince nos apontam para elementos que acontecem dentro de nós sem que ainda saibamos, mas que nos preparam para o novo, que se manifestará através de nós. O  novo ser humano começa a ser gestado, para formar a nova sociedade, tão necessária. 
Bons sinais se revelam em Julho independentemente dos conflitos em evidência.

Espero que este conteúdo seja útil! E se o for, compartilhe com quem acredita que possa se beneficiar destas  informações.
Se desejar atendimento personalizado, entre em contato. 
Fique bem!



31/05/2021

Junho de 2021

Junho se inicia com duas Cartas para orientação. São dois arquétipos a nos incentivar a assumirmos posições que podem favorecer nosso desenvolvimento pessoal e por sua vez coletivo. São, arcano XI, A Força (domínio do espírito) do Tarô e Carta Xamânica 41, Baleia (recordação).
A Força, traz a figura de uma mulher a domar um leão. Ela representa o lado feminino ativo do inconsciente humano e o leão está a representar as forças mais primitivas da nossa psique. Ela atua como mediadora entre o nosso ego e as nossas forças de natureza animal. Aqui o aspecto feminino mostra-se com poder importante, pois revela-se, confiante, terno, sereno e resoluto em sua ação. Mantem constância  no domínio da fera. Não exibe força bruta, mas sabedoria, no educar e lapidar o leão. 
A figura feminina é mestra na magia da relação humana, exibe ousadia no envolvimento pessoal. Assim como no conto de fadas "A Bela e a Fera", a bela dama lapida os instintos ferozes da Fera com sensibilidade, inteligência, delicadeza, afeto, coragem e assim é possível revelar-se nele seu aspecto majestoso. Ela o compreende e enxerga a sua natureza. Sabe como deve trata-lo para amansa-lo. É destemida, pois confia em sua capacidade, e assim revela que o domínio do medo pode gerar ação correta, ao passo que o medo sem controle incita a expressão do instinto animal, que habita o interno humano. Aqui vale muito o conceito de Chogyam Trungpa, no seu livro "Shambhala, A Trilha Sagrada do Guerreiro": ele define o verdadeiro guerreiro como aquele que une coragem a um coração terno.
Este arcano nos aponta para o autodomínio através do aspecto feminino da nossa psique. Revela a importância de educarmos nossos instintos mais primitivos ou seja, os desejos mais violentos que existem em nós. 
Para completar nossa orientação vem a Carta Xamânica Baleia, que simboliza a memória primordial, é a guardiã da história da Terra. Conhece as origens e as profundezas do oceano, que poderíamos relacionar ao inconsciente.
Esta é uma Carta que nos chama para acessar nossos arquivos mentais, para nos conscientizarmos do que é  necessário para nosso equilíbrio e saúde. Diz que sabemos de tudo o que precisamos para nos mantermos saudáveis, mas que muito destas informações estão depositadas em nosso inconsciente e para acessa-las podemos utilizar sons para relaxar e nos isolar dos ruídos externos. Estes sons podem ser nossa voz com cantos relaxantes ou sons do tambor, chocalho, flauta ou sons da natureza. Isto é, Baleia nos aponta para necessidade de nos conectarmos com nossos arquivos internos para obtermos as informações que precisamos para nos curarmos ou equilibrarmos nossa saúde física e emocional. 
Incrível a sintonia destes dois arquétipos! Ambos nos falam da importância de nos voltarmos para nosso interior, para buscarmos respostas que necessitamos e a prática do autodomínio para atuarmos de forma benéfica tanto em nossa vida pessoal como coletiva. E tudo de forma harmônica, pontual com controle de nossas feras internas, para que ações violentas não ocorram. Ainda estão valendo as orientações de Maio, onde se mostrava a necessidade da responsabilidade nas ações. Em Junho só temos o reforço neste sentido, com ampliação da consciência por um trabalho focado no autoconhecimento e autodomínio.

Espero que este conteúdo seja útil! E se o for, compartilhe com quem acredita que possa se beneficiar destas  informações.
Se desejar atendimento personalizado, entre em contato. 
Fique bem!





01/05/2021

Maio de 2021


Em Maio chegam a nós duas Cartas, que combinadas, nos dão chaves importantes para orientação e reflexão. São elas: do Tarô, Arcano VIII, A Justiça - equilíbrio - e Carta Xamânica 5, Urso - introspecção -.
É preciso ressaltar que A Justiça aqui não se refere às leis feitas pelo ser humano, mas às Leis invioláveis que regem o Universo. E é exatamente esta diferença que nos traz elementos para profundas reflexões. Pensar em julgamentos em busca de culpados e inocentes pode gerar, nesta análise, um conflito desnecessário. Este Arcano nos aponta para outro enfoque, onde podemos ser ao mesmo tempo culpados e inocentes! Onde um dos significados de inocência é ignorância, isto é, ausência de conhecimento ou desconhecimento de algo, portanto, quem pode dizer que é inocente e apontar o dedo acusando o outro de culpa? Se observarmos em profundidade uma situação, todos os envolvidos geram aquela circunstância, cada qual na sua posição alimenta os fatos, e assim, todos são responsáveis pelo que acontece.
Responsabilidade é a palavra-chave. Tudo o que é pensado, sentido e feito emite um padrão vibratório, que exerce influência sobre o meio e ao seu emissor também. Sabendo disto, fica claro que por correspondência vibratória, os elementos se afinizam ou seja, vibram na mesma sintonia e se atraem. Por isso, o que é emitido define o que é atraído. Temos livre arbítrio para decidir nossas ações, e ficam os atos atrelados aos seus resultados. Sendo assim, por exemplo, quando alguém condena atos de violência com palavras violentas, não estaria ele agindo da mesma forma que aquele que condena? Quem aqui é culpado e quem é inocente? O mesmo indivíduo é culpado e inocente! Sua culpa, que poderíamos traduzir como responsabilidade, está na fala violenta, ao definir o outro como agente da violência. O suposto inocente, ignora sua fala tão violenta quanto a pratica violenta do outro. Existe aqui um denominador comum, ação violenta, portanto, ambos os indivíduos tem responsabilidade na manifestação violenta. 
Complicado pensar assim? Talvez não tenhamos  o hábito de analisar desta forma, pois é comum nos  dividirmos entre vitimas e agressores, defensores e prejudicados, mas O Arcano VIII nos solicita reflexão maior. Sua mais importante contribuição no momento é nos alertar para o fato de que somos responsáveis pelos nossos infortúnios e bem-aventuranças em função de nossas escolhas e por isso é, na verdade, através de nossas opções que podemos mudar o padrão de nossas vidas. 
A Justiça, Arcano VIII nos diz também que aquilo que já emitimos ou recebemos não poderá mudar, isto é, as perdas, os danos que já sofremos ou provocamos não serão alterados, mas serão compensados. A Lei da Compensação é um fator equilibrante.
É preciso ressaltar que antes de julgarmos o outro a partir de nossa visão, às vezes limitada, é preciso olhar para nossos próprios atos, pois na verdade somos ao mesmo tempo culpados e inocentes e é importante pensarmos sobre isto, para expandirmos nossa consciência.
Como não poderia ser diferente do costumeiro, a Carta Xamânica, que nos aponta para a atitude correta para realizarmos o Arcano VIII, vem reforçar a direção apontada, pois Urso, significa introspecção, isto é, a força de cura do Urso é o seu poder de introspecção. É a capacidade de serenar a mente, voltar-se para dentro e procurar em si mesmo a resposta que busca, através da sintonização fina com a Mente  Universal. Aqui o fator intuição se anuncia, pois com a mente serenada, longe dos ruídos externos, é possível perceber a essência do que se quer e por isso ter claro a direção a seguir.
Maio solicita discernimento para guiarmos nossas ações, sabendo que respondemos pelas escolhas que fazemos, sejam elas a nível pessoal ou coletivo. Ninguém escapa à Lei da Causa e Efeito, portanto, antes de julgarmos, olhemos para nós mesmos, com olhos de quem se analisa com imparcialidade.

Espero que este conteúdo lhe seja útil e se o for, compartilhe com quem possa se beneficiar destas informações. Se desejar atendimento personalizado, entre em contato. 
Fique bem!



31/03/2021

Abril de 2021

 

Em Abril vemos a tônica do mês anunciada pelo Tarô, com o Arcano I, O Mago, a Vontade, com apoio da Carta Xamânica 9, Borboleta, a Transformação.
O Mago, representa o início, a ideia original e o poder da vontade, que é a condutora. Sem a vontade não se sai do lugar, não se realiza a ideia que surge para receber forma e se manifestar no plano material. É a conversão da ideia em desejo, que gera objetivo, meta, ação e resultado. Para a realização, a força motriz é a vontade, que deve ser preservada e que não depende de fatores externos, mas internos. Ela é a substância que existe em cada um de nós, a nos dar o combustível necessário para atuarmos com objetividade e intenção de realização e transformação. É através da vontade que damos sentido à nossa vida.
Como não poderia ser diferente das outras inspirações e orientações em meses passados, a Carta Xamânica vem complementar de forma perfeita o Arcano do Tarô, pois desta vez, a Borboleta, nos traz o arquétipo que mostra a capacidade de transformação através da mente, representa o elemento Ar. É o saber de que a transformação acontece na mente para depois se manifestar nas atitudes.
A Borboleta nos indica quatro etapas de transformação:
Primeira: estágio de ovo, simbolizando o inicio de todas as coisas.
Segunda: estágio da larva, que simboliza a decisão de inserir a ideia no plano físico.
Terceira: estágio do casulo, simboliza o movimento de ir pra dentro ou a gestação da ideia.
Quarta: estágio do abandono da crisália, é o momento do nascimento. É o abrir as asas da Borboleta e voar. É o tempo de compartilhar a criação com outras pessoas.
O importante aqui é perceber em que fase da transformação se está, para saber qual a conduta correta. Toda percepção aqui irá gerar a consciência de qual procedimento deve ser feito, para permitir que o processo de transformação aconteça obedecendo suas etapas. Se for necessário produzir mudanças nas ações, sentimentos ou pensamentos, será importante que se faça. A Borboleta nos dá pistas para conseguirmos transformar uma ideia em realização.
Neste momento que vivemos a gerar dificuldades em vários âmbitos e por isso a necessidade de adaptações, mudanças, e força para seguir em frente, nada mais inspirador que  Mago e Borboleta, para nos orientar e auxiliar em nossa caminhada.
Na atualidade, onde os desafios se mostram a cada dia, muitas vezes gerando frustrações, incertezas,  medo, sensação de vulnerabilidade, solicitando esforço redobrado para continuar, nosso ânimo pode se abalar, nos trazendo desesperança. E por isso surge um sinal de alerta para protegermos nossa vontade, pois diante deste período difícil podemos sentir que nossa energia é drenada e aos poucos vamos entrando em estado de torpor, podendo-se chegar ao estado depressivo. Ter nossa vontade diminuída progressivamente pode nos levar à robotização, que é o sentido inverso da humanização. Por isso mais do que nunca é necessário protegermos nossa força motriz, a vontade, através da auto observação, identificando quais atitudes, sentimentos, crenças, hábitos,  enfraquecem nossa vontade, afetam nossa criatividade, nossa esperança e a certeza de que podemos crescer e nos tornarmos melhores nestes momentos difíceis.
Tudo passa e estas vivências desafiadoras também irão passar. Tudo que tem seu começo, também tem seu fim. O que importa de fato é saber se seremos pessoas melhores depois que tudo acabar e isto depende de cada um de nós, dos propósitos que temos e é através da nossa vontade que podemos nos direcionar para aquilo que propicia nossa evolução e nos afastar daquilo que nos torna menos humanos. 
Neste enredo, onde a batalha pelo aprimoramento da vida está em andamento, podemos transformar aquilo que nos impede de evoluir, que minimiza nossa vontade, entorpecendo nossos projetos de vida, e nossa identidade ou individualidade. E esta transformação ou transmutação se dá na mente para depois se realizar na ação. 
"A palavra transmutar significa mudar de uma natureza, forma ou substância, em outra, transformar (Webster). E da mesma forma, Transmutação Mental significa a arte de transformar e de mudar os estados, as formas e as condições mentais em outras." O Caibalion. 
Podemos através da transmutação mental mudar nosso estado. Ao nos observarmos e identificarmos o que drena nossa energia, enfraquecendo nossa vontade, podemos mudar em nós estes elementos e manter nosso sentido de vida. Já citei que a força de nossa vontade não depende de fatores externos, mas de fatores internos, portanto, por maiores que sejam os desafios que enfrentamos, é possível mantermos nosso eixo interno como uma  bússola no meio da tempestade.
Observe as etapas que a Carta Xamânica Borboleta nos traz, veja em que nível você se encontra em relação aos seus projetos e faça os movimentos necessários para prosseguir. Isto pode se referir a trabalho, estado emocional, saúde, finanças. Seja qual for sua necessidade de transformação, não hesite em realizar. Coloque esforço, coloque vontade para alcançar a versão melhorada de si. 
Não esmoreça, não permita que sua vontade seja diminuída. Não se desvie do sentido de sua vida.

Espero que este conteúdo lhe seja útil, e se for, compartilhe com quem possa se beneficiar destas informações. Ao desejar atendimento personalizado, é só entrar em contato.
Fique bem!


01/03/2021

Março de 2021

Neste mês, para reflexão e orientação temos duas cartas, no Tarô e Carta Xamânica. São elas, o arcano XVII, A Estrela e Carta 19, Búfalo.

Quando tudo parece estar perdido, surge A Estrela, a nos dizer que não está, porém, não estamos enxergando a luz no final do túnel! E ela existe!

O arcano XVII nos diz para olharmos para dentro de nós mesmos e procurar pela luz interior que está o tempo todo a nos apontar para nossa natureza divina, onde estamos inseridos dentro do Universo, que se movimenta sempre no caminho da evolução, portanto, tudo tem solução, uma saída, uma possibilidade de melhora, que ainda não enxergamos, mas que está ali, mais adiante, só precisamos plantar a semente certa para que em tempo adequado germine, revelando o fruto que idealizamos no plantio. A capacidade de acreditar no melhor pode despertar nossa consciência e inspiração, para escolhas mais acertadas, evolutivas. 

A Estrela, a esperança, sinaliza o momento de acreditar e apostar num tempo melhor.

E para completar a mensagem vem Búfalo, a oração e abundância. Nos ensina a rezar, a nos elevar. A cura do Búfalo se dá pela prece, louvor e gratidão e a abundância vem do agradecimento pelo que vivemos, pois tudo nos é ofertado para evoluirmos. Assim como o respeito pelo o que vive é fundamental, para que todos os seres viventes possam ter vida digna e satisfatória. Ninguém poderá experimentar a abundância se viver na pobreza de seus propósitos prejudicando a vida de outro ser, seja ele de que espécie for.

A oração significa edificar a vida e direcionar a mente e o coração no sentido do bem-estar de todos, lembrando-nos que somos filhos do Universo e que enquanto estivermos em dissonância com o Todo não experimentaremos a prosperidade nem a paz interna

Em janeiro nos foi sinalizado a necessidade do discernimento e o senso do bem-estar coletivo. Em fevereiro as Cartas nos apontaram para mudanças significativas e a relevância de um olhar aguçado para seu significado. E agora em março nos vem a mensagem para cultivarmos a esperança de um porvir melhor para todos, e a necessidades de elevarmos nosso olhar para o Alto e nos inserirmos nesse projeto chamado Vida, com responsabilidade no direcionamento consciente de nossas ações, no sentido de plantarmos boas sementes,  em prol de todos os seres viventes, para que germinem no tempo certo, mesmo que nem todos os frutos vejamos, mas o mais importante é o processo evolutivo. A esperança é o acreditar que o porvir será melhor e para isso planta-se as sementes que farão esse amanhã abençoado.

Espero que este conteúdo lhe seja útil, e se for, compartilhe com quem possa se beneficiar destas informações. Ao desejar atendimento personalizado, entre em contato. Fique bem!